Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial

Ultimas Postagens
Destaques e Notícias
TESE DE DOUTORADO EM BIOCIÊNCIAS USA COMO FONTE QUADRINHOS E FANZINES

TESE DE DOUTORADO EM BIOCIÊNCIAS USA COMO FONTE QUADRINHOS E FANZINES


Danielle Barros Silva Fortuna Defendeu no dia 11 de agosto sua tese "Prospecção de materiais educativos impressos sobre saúde no Instituto Oswaldo Cruz e desenvolvimento de metodologia para avaliação de materiais através de oficinas criativas de fanzines e quadrinhos", sob a orientação de  Paulo Roberto Vasconcellos Silva e Tania Araújo-Jorge, na Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Rio de Janeiro (RJ). Leia o resumo!

Prospecção de materiais educativos impressos sobre saúde no Instituto Oswaldo Cruz e desenvolvimento de metodologia para avaliação de materiais através de oficinas criativas de fanzines e quadrinhos

O objetivo geral da pesquisa de doutorado consistiu em desenvolver prospecção de materiais educativos impressos (MEI) elaborados nos laboratórios do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), na Fundação Oswaldo Cruz, investigando suas condições de produção a partir de entrevistas com elaboradores; como base para o desenvolvimento de avaliação experimental que envolveu aspectos subjetivos - e não apenas cognitivos, - através de oficinas dialógicas criativas articulando ciência e arte, com a linguagem dos quadrinhos e dos fanzines. O resultado da prospecção identificou que 38 dos 72 laboratórios do IOC, ou seja, mais da metade, elaboraram MEI. O mapeamento reuniu 60 MEI, analisados quanto ao formato, data, autoria, temas, entre outros, permitindo montar uma sistemática por tipos. As entrevistas com 12 pesquisadores do IOC revelaram as motivações que envolvem desde as demandas profissionais e as de cunho pessoal, como os MEI são feitos, onde circulam, as estratégias de fomento, as dúvidas existentes sobre registro de direitos autorais, a dificuldade de comunicação com o público, as formas de avaliação que tem sido utilizadas, as inspirações conceituais e criativas, além de aspectos institucionais e emocionais que envolvem a prática. As oficinas, no total de três, envolveram 38 participantes entre docentes, discentes e profissionais de saúde/ensino em três instituições públicas de ensino nos estados RJ, BA e ES, foram espaços dialógicos voltados a captar as percepções do público acerca de 9 MEI do IOC, em um processo avaliativo através do ato criativo que resultaram na criação de 18 materiais educativos pelos participantes. Os desdobramentos da pesquisa envolveram a geração de produtos em MEI registrados; o mapeamento de MEI do IOC; a proposta de metodológica de avaliação de MEI; e o desenvolvimento de investigação acadêmica com vistas a agregar conhecimento à área de estudos em ciências e saúde, objetivos que diante dos resultados, foram cumpridos. 

Banca examinadora: Dr.Edgar Franco (UFG), DrªClaudia Coutinho (IOC), DrªClaudia Souza (IOC), DrªGrazielle Pereira (IFRJ) e orientadores Dr.Paulo Roberto Vasconcellos-Silva, DrªTania Araújo-Jorge.